Volta                - Chás -

Chás Chazinhos Erva mate

O chá, hoje uma designação genérica, é, depois da água, a bebida mais consumida em todo o mundo. Geralmente preparado por infusão de folhas ou flores de plantas, faz parte de rituais, da medicina caseira e é complemento dos aconchegos da maioria dos povos da terra.

Erva Mate

Conta uma de nossas lendas no Sul do País que Erva Mate foi prêmio dado pelos deuses a um herói guerreiro que abateu em luta justa um enorme jaguar. O deus fez nascer a planta e ensinou a usar a bebida para recuperar as forças. Mais para o Sul os charruas contam que um enviado de Tupã, em agradecimento a hospitalidade de Itabaetê e sua filha Yarí, presenteou-os com uma planta "repleta de folhas verdes, donde se desprendia um perfume de bondade, talvez o mesmo perfume de Tupã". Disse ainda Deus à Yiarí - "serás a protetora das florestas que haverão de surgir. Os guerreiros provarão a mesma delícia de teu carinho ao sorver esta bebida: as caminhadas de guerra serão menos fatigantes e os dias do descanso mais felizes".

Desde então a Caa Yiarí ou a erva mate passou a ser a principal bebida dos povos do sul e centro sul do país, e também dos países vizinhos, Uruguai, Argentina, Paraguai e Bolívia.

Tradicionalmente, a folhagem verde seca e moída é colocada numa cuia de cabaça, também chamada de porongo ou purunga, com uma bomba - o tubo de prata alargado na ponta em forma de coador. Vertendo-se água fria, toma-se o tererê. Vertendo-se água quente toma-se o mate ou o chimarrão.

O tererê ou chimarrão são complemento de sociabilidade, ou seja, deve-se tomar acompanhado de outras pessoas e obedecendo a certo ritual:

Colocar o mate na cuia até ocupar 2/3; acomodar a erva de um lado da cuia; colocar no fundo da cuia, água fria ou morna, só molhando o fundo. Deixar até que a erva fique inchada. Pegue a bomba, tape o bocal com o polegar e leve-á até o fundo da cuia. Complete a cuia com água quente (nunca fervida). O mateador sorve e cospe a primeira infusão porque é muito amarga. Volta a encher a cuia e é o primeiro a beber. Enche de novo e oferece a primeira pessoa a sua direita.

Por influência europeia, em São Paulo, principalmente, as folhas são "queimadas" e prepara-se vertendo-se água fervida e deixando curtir por alguns minutos. A bebida resultante pode ser tomada quente ou gelada. Vale a pena em ambos os casos colocar umas gotas de limão.

Chá

O chá, propriamente dito, é o Thea Sinenses, rico em cafeína, teobromina, alcalóides que aceleram a circulação sangüínea e estimulam a atividade cerebral.. Contam na Ásia que o príncipe Darma adormeceu quando se dedicava à meditação. Quando despertou, incorformado por ter dormido, arrancou as pálpebras e atirou-as ao jardim onde criaram raízes e deram origem a duas plantas cujas propriedades são manter alerta e vigilante o espírito dos mortais.

Presente em todas as culturas orientais o chá continua sendo tomado como parte de um ritual. Entre os europeus, os ingleses fizeram do "chá das cinco" uma tradição.

Os tipos de chá mais consumidos no Brasil são o pekoe, chinês e o assan, indiano.

O tipo de bebida varia de acordo com a preparação das folhas - fermentadas e tostadas - e adição de aromatizantes - casca de laranja, jasmim, etc.. O chá mais consumido em todo o oriente é o chá verde, de baixa fermentação, que é também o mais sadio. No Brasil, o chá preto foi trazido pela família real. D. João VI mandou plantar no Jardim Botânico do Rio de Janeiro e hoje é cultivado largamente, principalmente por imigrantes japoneses no sul do Estado de São Paulo.

Chazinhos

Segundo o folclorista Alceu Maynard Araújo, o chazinho é um remédio para todas as idades. É preparado com água fervida, plantas é geralmente adoçado e tomado morno ou quente. Não há pelo Brasil afora comadre ou avó que não tenha a receita de um chazinho para curar qualquer tipo de mal estar.

Chá de folha de abacateiro - persea gratíssima - para os rins e bexiga.

Chá de canela - sinnamonun zeylanicum - para suadouro

Erva doce - pimpinella anisum L. - para dor de barriga

Folha de figo - ficus carica - para o fígado

Hortelã - mentha viridis L. - contra gases e vermífugo

Losna - arthemísia abisinthium - para dor de barriga e vesícula

Louro - laurus nobile L. - contra insônia

Cabelo de milho - Zea mays - diurético. Ajuda a arrebentar sarampo e catapora

Quebra pedra - phyllantos niruri L. - diurético, contra pedras nos rins e ácido úrico

Flor de ibisco - rosa cinensis L. - diurético e adstringente.

Boldo do chile - peumus boldus - estimula o fígado e vesícula

Camomila - matricaria chamomilla - digestivo e calmante

Capim-cidreira - cymbopogon citratus - calmante e digestivo

Erva-cidreira - melissa officinalis - sedativo, ajuda a dormir

Flor de laranjeira - citrus aurantium - calmante, ajuda a dormir

Folhas de maracujá - parsiflora edullis - calmante, diminui a ansiedade

Broto de goiabeira - psidium guajava - contra diarréia

Tanchagem - plantago major - adstringente, hemostática, bom para o aparelho digestivo

Chá de alho - alium sativus - contra vermes e, com mel, é ótimo contra gripes